Que suas palavras não sejam apenas ruídos – Mestre Kino Kazuyoshi

kotodama.jpg

Imersos em dramas, cansaço, stress, ansiedade, motivações, desmotivações, propósitos, será que conseguimos tempo e energia para ponderar nossas palavras?

No livro “Para uma pessoa bonita” da Mestre Zen Budista Shundo Aoyama Rôshi, há uma reflexão interessante sobre como utilizamos as palavras e como hoje damos ou não importância para como as proferimos:

“É significativo que antigamente se usasse o termo “kotodama”, que literalmente significa “o espírito das palavras”, para mostrar que as pessoas acreditavam que aquilo que era dito se tornava realidade. Devemos ter cuidado com as palavras, pois, como as fisionomias, elas revelam a personalidade de quem as usa. No entanto, palavras bajuladoras soam insinceras, falsas, feias. Palavras bonitas são palavras corretas, oportunas, cheias de amor. São as palavras que surgem naturalmente de pessoas realmente bonitas.”- Mestre Zen Budista Shundo Aoyama Rôshi em  Para uma pessoa bonita  

Há tanta energia, intenção e emoção por trás das palavras… Se assumíssemos mais a responsabilidade sobre tudo isso ao utilizarmos as palavras, quem sabe conseguiríamos por meio delas entender nós mesmos (nossa energia, intenção e emoção), e quiçá, por bem nos posicionarmos de forma justa e honesta, e talvez assim também entender a energia do outro, suas intenções e emoções. Pra que? Para comunicarmos melhor conosco mesmos e com os outros. E isso não é harmonia? Não traz paz e plenitude?

“Antes de falar, Buda sempre prestava atenção a três coisas. Primeiro, verificava se aquilo que estava por dizer correspondia realmente à verdade. Em seguida, considerava se suas palavras seriam mesmo benéficas para o ouvinte. Depois de considerar esses dois pontos, em seguida escolhia o local e a hora mais adequados para abordar o assunto. Em alguns casos, ainda que se tenha que dizer a verdade, é melhor calar. E se devemos realmente falar, muitas vezes provocamos consequências negativas apenas porque o lugar e a hora não foram escolhidos corretamente. Buda era tão atento a esses princípios a ponto de os aplicar mesmo para pronunciar uma única palavra. As palavras mais belas surgem naturalmente de uma vida pura e cheia de amor, como a de Buda Shakyamuni, e sua elegância está em preocupar-se realmente com o bem-estar do próximo.”- Mestre Zen Budista Shundo Aoyama Rôshi em  Para uma pessoa bonita  

As palavras têm um poder imenso. Será que utilizamos elas ao nosso favor? Ainda, ao favor de nosso dark side ou do bright side?

Tenham um bom dia!

🙂

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s